Romaria de Nossa Senhora da Saúde - Saudel

Romaria de Nª Sª da Saúde

Viagem Medieval - Santa Maria da Feira

Feira Medieval em Terra de Santa Maria

Festas do Concelho de Paredes de Coura – 2013


Festas do Concelho de Paredes de Coura – 2013
Festas em honra de Santo António e Nossa Senhora das Dores
Programa

Dia 9 de Agosto – Sexta-feira

08:45 - Salva de morteiros

09:00 - Arruada pelos Grupos de Bombos e Zés P´reiras de Paredes de Coura:
Figueiras na Rua - Rubiães

Amigos da Música – Coura (S.Martinho)

12:00 - Concentração dos Grupos de Bombos no Largo Visconde de Mozelos

19:00 - Despedida dos Grupos de Bombos

22:00 - Atuação dos Grupos de Música Tradicional de Paredes de Coura, no Largo Hintze Ribeiro:
Grupo de Cantigas “Ré Maior” - Mozelos

Grupo de Cantares do Campo - Formariz

Grupo de Cantigas da ACRD de Padornelo

22:30 - Actuação do Grupo Musical “Hugo Band” no Largo 5 de Outubro

01:00 - Fogo-de-artifício

Dia 10 de Agosto – Sábado - Feriado Municipal

08:45 - Salva de morteiros

09:00 - Hastear Solene da Bandeira frente aos Paços do Concelho

Festival Internacional de Folclore – O Mundo a Dançar


No próximo dia 1 de agosto, vai realizar-se, em Ponte de Lima (Largo de Camões – 22h), mais uma edição do Festival Internacional de Folclore "O Mundo a Dançar".

Este espectáculo único de cor, beleza e alegria aliado à multiculturalidade que os quatro grupos dos distintos países proporcionam é integrado no Conselho Internacional das Organizações de Festivais de Folclore e das Artes Tradicionais (CIOFF).

Ao palco subirão companhias de dança e grupos folclóricos que prometem transportar os espectadores até ao país que representam:

Da cidade de Fortaleza, no Brasil, chega a Companhia de Ritmos e Danças Populares “CORDAPES”.

As Filipinas apresentam a companhia de dança PAMANA ng LUZVIMINDA, fundada em 2005 e com vasta experiência de participação em festivais mundiais de folclore.

Com o grupo folclórico Estampas de México da TEC de Monterrey teremos oportunidade de conhecer o México.

A Sérvia faz-se representar pela companhia de dança SIMYONOV, uma das mais populares e admiradas pelos grupos deste país.

Ponte de Lima tem a honra de acolher, uma vez mais, este Festival Internacional de Folclore que promete tornar a primeira noite de agosto num espetáculo de ritmo e alegria inesquecível.

29º Festival Internacional e Nacional de Folclore de Fafe


XXIX Festival de Folclore - Cidade de Penafiel


Exposição de Harmónios e Concertinas dos séc. XIX e XX


Está a decorrer no Museu da Música, até ao próximo dia 15 de Setembro, uma exposição de harmónios e concertinas dos séc. XIX e XX pertencentes à coleção particular de Henrique Figueiras.

Esta exposição visa evidenciar aspetos organológicos e culturais destes instrumentos populares, focando também o colecionismo particular, muito presente na génese do próprio Museu da Música.

Quem é o colecionador Henrique Figueiras?

Com origens no distrito de Viana do Castelo, Henrique Figueiras, músico, investigador e professor de concertina e harmónio, possui uma coleção de cerca de 50 exemplares de harmónios e concertinas dos séc. XIX e XX, dos quais serão expostos os mais representativos.

O pai também era tocador e o interesse pela tradição familiar e pelos costumes da terra iniciou-o, aos 12 anos, nesta aventura. Hoje em dia, Henrique Figueiras procura restaurar, com o máximo de cuidado, cada uma das peças que vai adquirindo dentro e fora do país, recorrendo, para isso, a um leque de afinadores e restauradores estabelecidos no norte de Portugal.

XXIV Festival de Folclore de Montargil


MONTARGIL - É uma das mais importantes freguesias do concelho de Ponte de Sor. Com quatro mil habitantes, tem uma longa história, desde que foi concelho independente até aos dias de hoje, em que é uma vila moderna e virada para o desenvolvimento através, principalmente, dos novos projectos turísticos que se avizinham. A vinte e sete quilómetros da sede do concelho, encontra-se na margem direita do rio Sor.

(...) O povoamento de Montargil remonta à época pré-romana. Em alguns locais da freguesia, como na serra de Montargil, apareceram nos últimos anos alguns objectos em cerâmica e sepulturas romanas. Em S. Martinho, na margem esquerda do rio Sor, surgiram vestígios de uma antiga povoação, que pela sua configuração deveria ser do tempo dos lusitanos, logo pré-romana. No lugar das Mesas, foram encontrados restos de um estrada lageada, que porventura pertencia à via romana que de Lisboa se dirigia para Mérida. O facto de passar por Montargil demonstra a importância que, já naquela altura, o imperial povo votou à freguesia.

A sua fundação, como freguesia, remonta aos primeiros tempos da Monarquia. Foi instituída por D. Dinis em 1315, que lhe deu carta de foral. O seu nome é descrito da seguinte forma pelo "Álbum Alentejano" de 1937: "Mont'Argil ou Monte Argil deve ter sido o seu primitivo nome. O primeiro encontra-se muitas vezes citado em documentos antigos, o que nos leva a crer ter sido ele o verdadeiro que, com a corrupção do tempo, se transformou em Montargil. Outros, como Pinho Leal, dizem que o seu primeiro nome foi Monte Argel, e vinha a ser Monte do Infeliz, porque no antigo português argel significava infeliz, desgraçado, mofino. Outros pretendem que é corrupção de Monte Argila, o que é mais crível, visto a constituição geológica do terreno em que assenta ser de barro.

Para saber mais>>>
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...