Colóquio Internacional sobre Arquitectura Popular

O Município de Arcos de Valdevez vai organizar um Colóquio Internacional sobre Arquitectura Popular: «Arquitectura Popular - Conceitos e expressões. Valores culturais, sociais e económicos», nos dias 3 a 6 de Abril de 2013, convidando para esse efeito investigadores de diferentes áreas científicas a reflectir sobre este tema nas suas vertentes arquitectónicas, urbanísticas e culturais.
A Comissão Científica do Colóquio integra investigadores de diversas universidades e instituições de Portugal, de Espanha e do Brasil, e que vêm trabalhando este tema.
Contactos:
Casa das Artes de Arcos de Valdevez
4970-433 Arcos de Valdevez; Portugal
Geral: 00 351 258 520 520
Secretariado: 00 351 916 327 116 (Liliana Monteiro)
Para mais informações, clique aqui.

Fundação INATEL…77 anos de história, desenvolvimento e relações intergeracionais

Inserida nas comemorações do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e Solidariedade entre Gerações, vai decorrer no próximo dia 28 de Setembro de 2012 (sexta-feira), pelas 21h30, no auditório da agência de Viana do Castelo da Fundação INATEL, uma tertúlia sobre o tema “Fundação INATEL…77 anos de história, desenvolvimento e relações intergeracionais”.
Esta tertúlia terá como orador o Exmo. Senhor Provedor do Associado da Fundação INATEL, Dr. Kalidás Barreto e é destinada a toda a comunidade.
A entrada é livre.
Se pretender conhecer mais iniciativas a realizar pela Fundação INATEL que chegaram ao nosso conhecimento, clique aqui.

"Serões no Burgo / Tertúlias Rusgueiras"

No próximo dia 21 de Setembro (sexta-feira), pelas 21h30, a Rusga de São Vicente de Braga - Grupo Etnográfico do Baixo Minho, vai realizar a 60ª edição dos "Serões no Burgo / Tertúlias Rusgueiras”, subordinada ao tema: - "Tertúlias Rusgueiras - 60 edições na abordagem, discussão e propostas de salvaguarda e promoção de patrimónios".
Farão parte do painel de convidados a Drª Aida Mata, Presidente da associação "Grupo de Amigos do Mosteiro de São Martinho de Tibães" (GAMT), a Profª Catedrática Manuela Martins, Presidente da Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, a  Profª Laurinda Figueiras, Presidente da Ronda Típica da Meadela - Viana do Castelo, o Dr. Luís Tarroso, Presidente da associação Estaleiro Cultural Velha-a-Branca e o Dr. Vitor Ramalho, Presidente da Fundação INATEL.
Os momentos artísticos serão da responsabilidade do Concertinista Henrique Figueiras e da Rusga de São Vicente.

Pós-graduação em «Património Cultural e Estudos Etnográficos Aplicados»

Estão abertas, até ao próximo dia 1 de Outubro, as candidaturas para a Pós-graduação em «Património Cultural e Estudos Etnográficos Aplicados», promovida pelo Instituto Politécnico de Tomar.

Esta pós-graduação é dirigida “a candidatos que visem aprofundar conhecimentos numa via profissional avançada e de aprendizagem ao longo da vida no domínio do Património Cultural e dos Estudos Etnográficos Aplicados e que desempenhem ou pretendam desempenhar funções nestes domínios de actividade.

A formação para o empreendedorismo, para o apoio à criação de empresas e para o estudo de viabilidade de actividades etnográficas e folclóricas dirige-se a quem pretenda desenvolver o seu próprio projecto ou trabalhar em projectos desenvolvidos em parceria e, naturalmente, em actividades realizadas no âmbito das atribuições das Associações de Património, dos Grupos Etnográficos e dos Grupos de Folclore.

As componentes científicas e técnicas são asseguradas por um corpo docente próprio e por especialistas de reconhecida experiência e competência profissional
.”
Para mais informações, clique aqui.

A "importação de falso folclore"

Em artigo de opinião publicado no Portal do Folclore Português, Carlos Gomes afirma «(…) Mas, se aos ranchos folclóricos portugueses se exige seriedade na sua representação, idêntica exigência se deve reclamar daqueles grupos que em representação de outros países preenchem os programas de festivais internacionais de folclore, alguns dos quais de autenticidade duvidosa mas que não deixam de impressionar os incautos. Desde a forma exuberante e algo fantasiosa à apresentação bastante produzida com maquilhagens e outros postiços, muitos grupos estrangeiros que vêm ao nosso país atuar a convite de ranchos folclóricos e outras entidades organizadoras de festivais apresentam as mesmas enfermidades que alguns dos mais deploráveis grupos que entre nós são verberados pelo mal que fazem ao folclore. Sucede, porém, que a pretexto de serem estrangeiros, a sua exuberância é tida como autêntica na cultura de outros povos, vendendo-se assim gato por lebre…(…).
Concorda? Discorda? Partilhe a sua opinião connosco!

Lenço da Beira Alta

Lenço de cabeça de trajo de trabalho
Recebemos esta mensagem na nossa caixa de correio electrónico:
«Sou de Viseu e faço parte de um grupo de cantares. Temos tentado obter "Lenços da Beira Alta" para enquadrar no traje, no entanto não conseguimos encontrar o lenço típico; aparecem muitos do Minho mas o tradicional da Beira Alta não.
Vimos pedir o vosso auxílio no sentido de nos informarem se existe algum local onde nos possamos dirigir para o efeito
Se alguém souber dar alguma resposta, agradecemos que o faça através da colocação de um comentário a esta mensagem.
Agradecemos.

Património Cultural e Estudos Etnográficos Aplicados

Pós-Graduação em "Património Cultural e Estudos Etnográficos Aplicados"

Apresentação do Curso - 13 de Setembro - 18h00

Instituto Politécnico de Tomar


Como vai funcionar?

Todas as dúvidas/pedidos de esclarecimento, os pedidos de ajuda, as sugestões, etc., que forem enviadas à Equipa do Portal do Folclore Português (via email: folclore@folclore-online.com) são colocadas neste blogue, em posts sucessivos. Todos os que quiserem ajudar na resposta ou meramente dar a sua opinião ou sugestão, devem COMENTAR, clicando no link dos comentários.
Também serão colocadas questões que consideramos importantes sobre o Folclore, a Etnografia e a Cultura Popular Portuguesa…
Por norma, os comentários são livres e não serão “controlados”. No entanto, caso se verifique (e queremos acreditar que tal nunca venha a acontecer) que algum comentário é injurioso ou ofensivo, não corresponda à verdade ou nada tenha a ver com o assunto, etc., será retirado de imediato.
Do mesmo modo, não serão aceites textos publicitários, sobre assuntos diferentes do tema a abordar ou que vise a mera introdução de um link para outro blogue ou site.
A Equipa do Portal do Folclore Português não poderá ser responsabilizada pelo teor de qualquer texto, e desde já agradece ser alertada para qualquer situação anómala que possa vir a acontecer.
Agradecemos que nos enviem sugestões para melhorar este “serviço”.

Novo projecto do Portal do Folclore Português

Desde a colocação online do Portal do Folclore Português, em 1 de Novembro de 2000, que nos têm chegado, via email, inúmeros pedidos de ajuda, esclarecimentos, etc. sobre diversos assuntos relacionados com o Folclore, a Etnografia e a Cultura Popular Portuguesa.
A todos tentámos e continuaremos a tentar dar uma resposta, dentro dos nossos conhecimentos e conscientes das nossas limitações. Sabemos que nem sempre as respostas foram ao totalmente ao encontro do que era solicitado, mas sempre tentámos fazer o nosso melhor.
Assim, e conscientes de que a comunidade folclórica no ciberespaço está a aumentar cada vez mais, e que eventualmente haverá interessados em participar neste tipo de projecto, decidimos criar mais este espaço que tem como principais objectivos, para além dos já enunciados no Portal do Folclore Português:
- Partilhar pedidos de ajuda, de informação e/ou de esclarecimento sobre quaisquer assuntos no âmbito do Folclore, a Etnografia e a Cultura Popular Portuguesa, e aos quais todos os folcloristas e outros possam responder ou dar sugestões;
- Ser um espaço de troca de opiniões e de discussão franca (no respeito pela diferença de opiniões) sobre todos os assuntos relacionados com os temas já referenciados;
- Disponibilizar “notícias breves”, “curiosidades”, etc.;
Este blogue, onde todos são convidados ou mesmo desafiados a participar, vem complementar outros espaços dinamizados pela Equipa do Portal do Folclore Português na internet:
É tempo de nos ajudarmos mutuamente e de partilharmos o pouco ou muito que possamos conhecer com os outros. Só assim estaremos no bom caminho para a defesa, a promoção e a dignificação do Folclore, da Etnografia e da Cultura Popular Portuguesa.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...